O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga hoje (16) o Cartão de Confirmação da Inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Entre outras informações, os estudantes terão acesso ao local onde farão o exame neste ano. As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro.

“A recomendação primeira é que o participante imprima o cartão de confirmação e, aqueles que precisam, imprimam a declaração de comparecimento e levem os dois para a aplicação do exame”, disse à Agência Brasil o diretor de Gestão e Planejamento do Inep, Murillo Gameiro.



Uma vez sabendo o local de aplicação, o diretor recomenda que os participantes façam o trajeto de casa até o lugar, para avaliar a duração do trajeto no dia da prova: “o participante deve conhecer o trajeto até o local de prova, considerando que no dia da prova vai ter um trânsito mais complicado, e haverá várias pessoas participando do Enem. É bom que o participante conheça o trajeto e saiba o tempo que vai gastar de casa até o local da prova.”.

No dia do Enem, a dica é chegar no local com antecedência. Os portões abrirão às 12h, pelo horário oficial de Brasília, e serão fechados às 13h.

O Cartão poderá ser consultado na Página do Participante, na internet, ou pelo aplicativo do Enem, disponível para download nas plataformas Apple Store e Google Play. Para acessar o Cartão, o participante precisa informar a senha cadastrada na hora da inscrição no Enem 2019. O Inep divulgou um vídeo orientando aqueles que perderam a senha sobre como recuperá-la.

Os estudantes poderão conferir, no Cartão, o número da sala onde farão o exame; a opção de língua estrangeira feita durante a inscrição; e o tipo de atendimento específico e especializado com recursos de acessibilidade, caso tenham sido solicitados e aprovados; entre outras informações.
Declaração de comparecimento

Segundo Gameiro, além do cartão, estará disponível a partir desta quarta-feira a declaração de comparecimento do primeiro dia do exame, que deverá ser levada no dia 3 de novembro. A declaração do segundo dia estará disponível a partir do dia 4 de novembro e deverá ser usada no dia 10 de novembro. Essa declaração precisa ser impressa e levada para a prova, quando será assinada pelo coordenador de local de prova.

“Dependendo do regime de trabalho, algumas pessoas têm plantão no final de semana e precisam de declaração para ter a falta abonada. São casos específicos”, diz. Essas pessoas, de acordo com o diretor, devem ficar atentas pois o Inep não irá fornecer o comprovante de presença após o dia da prova.

O Enem 2019 será realizado em 1.727 municípios brasileiros. Cerca de 5,1 milhões de estudantes estão inscritos no exame.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir este ano pode usar as notas do Enem para se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior. Os estudantes podem ainda concorrer a bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e a financiamentos pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).


O Corpo de Bombeiros confirmou a segunda morte causada pelo desabamento do Edifício Andrea, no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza. O corpo de uma mulher foi encontrado durante a madrugada e ainda está nos escombros. Conforme O POVO apurou, o local é escuro e a equipe de resgate ainda trabalha na operação de retirada.

O número oficial é de dois mortos, nove pessoas resgatadas com vida e outras nove ainda desaparecidas. Além dos moradores, um trabalhador da área de manutenção de ar-condicionado e o zelador do prédio foram incluídos na lista de pessoas ainda não encontradas. Sete casas em que a Defesa Civil identificou rachaduras foram evacuadas.

O trabalho de buscas entrou por toda a madrugada e é continuado nesta manhã. Já são mais de 20 horas de trabalho. A remoção dos escombros deverá durar, no mínimo, sete dias. A primeira morte confirmada é de Frederick Santana dos Santos, 30 anos.

De acordo com o comandante Eduardo Holanda, do Corpo de Bombeiros, responsável pela operação de resgate, as equipes permanecem nos locais alarmados pelos cães como de possíveis vítimas.

"Estamos fazendo ainda usando ferramentas de baixo impacto, evitando o maquinário pesado porque pode trazer instabilidade para o local e consequentemente diminuir a possibilidade de resgatar as pessoas", afirmou.

"Durante a madrugada trabalhamos com mais bombeiros do que durante o dia (de ontem). Hoje vamos aumentar nosso poder operacional e só vamos parar a operação quando todas as vítimas forem resgatadas", continuou o responsável pela operação.

Ele explica que, como toda estrutura colapsada, são muitos detritos e escombros que atrapalham a visão dos profissionais de resgate. "É um trabalho manual. Não podemos usar máquinas. Por isso usamos muito da técnica dos nossos Bombeiros. Temos 50 bombeiros especializados em ocorrências desse tipo. Eles estão na linha de frente. A grande complexidade desse tipo de operação é que temos que ter muita paciência e técnica", conclui o comandante Eduardo Holanda.

Defesa Civil, Cruz Vermelha, um grupo da Igreja Universal e outros voluntários estão fazendo o trabalho mais próximo à população, recebendo doações. As equipes dos Bombeiros trabalham sobre os escombros. Nesta manhã, pelo menos três caminhões caçamba entraram para receber os escombros que estão sendo retirados.

Fonte: O Povo

Um prédio residencial localizado na rua Tibúrcio Cavalcante, nº 2405, bairro Dionísio Torres, desabou na manhã desta terça-feira, 15, em Fortaleza. O edifício de sete andares fica na esquina da rua Tomás Acioli e estava habitado.

Prédio vizinho ficou com muro avariado. Carros que estavam na rua ficaram cobertos de areia. A região está com trânsito interrompido. De acordo com o Corpo de Bombeiros, uma pessoa morreu no acidente. Outras 10 pessoas foram resgatados com vida e levadas a unidades hospitalares.

Pelo menos dois feridos foram encaminhados ao IJF. Outro foi encaminhado ao Hospital Otoclínica, no bairro Joaquim Távora. O POVO apurou que este último é um homem de 20 anos que chegou lúcido ao hospital, inclusive se queixando de muita dor na mão. Ele está sendo atendido por emergencistas. Quadro de saúde é estável.

Ainda conforme a assessoria de comunicação dos Bombeiros, mais de uma vítima nos escombros se comunicam com familiares e equipe de resgate.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), "guarnições do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE) atuam com equipes de resgate especializadas em estruturas colapsadas e cães farejadores, além de equipamentos como drones, utilizados na varredura da área, e uma plataforma mecânica que possibilita uma visão elevada e central de toda a estrutura". O desabamento foi por volta das 10h30min. Algumas residências da área ficaram sem energia elétrica, conforme moradores.

Familiares de moradores estão no local aguardando informações oficiais. Movimentação de populares é intensa na área. Três guarnições do Corpo de Bombeiros estão no local, além de quatro viaturas da Polícia e quatro agentes da Defesa Civil. As equipes policiais isolam a área, organizando previamente ação de resgate.

Imagens mostram região do prédio que desabou; à direita, está uma loja de roupas que foi atingida pelos escombros - Google Street View

O Corpo de Bombeiros trabalha com hipótese de vazamento de gás no local.


Ambulâncias e socorristas estão no local. Helicóptero do Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) tenta pousar para resgatar vítimas gravemente feridas.


Conforme policiais militares, há vítimas conscientes nos escombros do prédio, inclusive se comunicando com socorristas. Francineudo Rodrigues, 33, filho do porteiro do prédio que foi encaminhado ao IJF, descobriu o acidente por meio imagens pelo celualr do pai de um aluno onde trabalha. Logo em seguida a esposa ligou para a portaria onde trabalha, avisando a ele e confirmando a informação.


Além dele, outras duas pessoas identificadas como Cleide Maria da Cruz Carvalho, 60, e Maria Antônia peixoto, 72 foram acolhidas no Instituto Doutor José Frota. A última se encontra em situação delicada.


O POVO Online localizou uma moradora do 2º andar, de nome Edna, que mora com uma filha de 22 anos e estava no trabalho quando recebeu a notícia do desabamento. Bastante abalada por telefone, a mulher, que é proprietária de uma distribuidora de água no bairro São João do Tauape, tentou explicar que foi avisada da situação por mensagem via telefone. Muito nervosa, pediu para desligar e disse que voltaria a se comunicar quando soubesse mais detalhes do acidente.


O grupo Fortaleza Solidária, juntamente com os voluntários do Abraçando a Comunidade, estão mobilizando uma campanha de doação de alimentos não perecíveis, vestuários, itens de higiene pessoal para as vítimas do desabamento. Os interessados podem ajudar pelo site, se inscrevendo na ação Fortaleza Unida pelas Famílias Vítimas do Desabamento.




Fonte: O Povo
Cerimônia no Vaticano consagra beata dedicada aos mais pobres.


Na primeira quinzena de agosto deste ano, a professora aposentada Miralva Tito Moreno Oliveira, 74 anos, preparava-se para um procedimento cirúrgico no Hospital da Bahia, em Salvador, para retirada de cálculos que podiam chegar ao ureter, quando o médico a informou que não seria mais necessária a operação.


Papa Francisco em cerimônia de canonização da Irmã Dulce - Reuters/Remo Casilli/Direitos reservados

“Dona Miralva, a senhora não tem a pedra mais”, disse o urologista conforme relato da paciente à reportagem. De acordo com o exame pré-operatório feito no hospital, o cálculo não estavam lá. Miralva Oliveira temia dor e desconforto se as pedras chegassem e crescessem no ureter. O risco havia sido detectado por um exame de ultrassom e confirmado por ressonância magnética.


A paciente mostrou, então, ao médico o santinho impresso da beata Irmã Dulce, que ela mantinha sobre o abdome, pedindo intercessão de Irma Dulce, a futura Santa Dulce dos Pobres. Emocionada, Miralva Oliveira descreve ter recebido “uma graça” do “Anjo Bom da Bahia” que foi canonizada hoje (13) pelo papa Francisco na Praça São Pedro, no Vaticano; e se tornou a primeira santa brasileira. A celebração litúrgica reuniu cerca de 50 mil pessoas.


A ex-paciente comemora a canonização da religiosa, "uma santa brasileira e baiana! A gente só pode ter orgulho de louvar a Deus”, diz Miralva.


Para a pesquisadora baiana Thiaquelliny Teixeira Pereira, que escreveu tese de doutorado sobre a construção social da santidade, Irmã Dulce já é considerada santa pelos brasileiros e, em especial, pelos baianos. "População brasileira é pouco entendida na questão da liturgia, é um povo de muita fé e de pouco conhecimento teológico", observa. "[Há] Pessoas que são cultuadas pela população baiana à procura de milagres, de terem suas aflições respondidas", revela a pesquisadora.


Conforme o jornalista Graciliano Rocha, autor da biografia Irmã Dulce, a Santa dos Pobres, são comuns relatos de fiéis, como Miralva Oliveira, descrevendo recuperação da saúde e o recebimento de outras graças após fazer orações e promessas à Irmã Dulce.


“Há um imenso mosaico de fé popular. A devoção à Irmã Dulce mobiliza todo o tipo de gente, de qualquer classe social”, descreve o biógrafo que realizou pesquisa por oito anos no Brasil, no Vaticano e até nos éEstados Unidos. Segundo ele, nos vinte anos após a morte da beata (entre 1992 e 2012) mais de 10 mil relatos de graças foram descritos em cartas de fiéis.


“É impossível não perceber beleza na devoção das pessoas”, observa o biógrafo após leitura de amostra dessas mensagens para escrever o livro. Há nas cartas “a inquietação genuína dos devotos”, principalmente de “causas ligadas à saúde”.


Hospital no lugar do galinheiro


Para o Graciliano Rocha, a vinculação à saúde tem muito a ver com o trabalho e o legado que a beata deixou após 60 anos dedicados à vida religiosa e à assistência aos mais pobres. Atualmente, as Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) contabilizam 2,2 milhões de procedimentos ambulatoriais por ano, e dispõem de 954 leitos em cinco hospitais.


Segundo descreveu Maria Rita de Souza Brito, sobrinha da freira e superintendente das Osid, à agência de notícias do Vaticano, o complexo hospitalar interna, por ano, 18 mil pessoas, realiza 12 mil cirurgias, atende 11,5 mil pessoas em tratamentos de câncer.


As obras sociais tiveram início no ano de 1949, quando Irmã Dulce ocupou um galinheiro ao lado do Convento Santo Antônio para cuidar de 70 doentes. Onze anos depois, a futura santa cuidava de um hospital que dispunha de 160 leitos.


“Era um momento que não havia direito à saúde pública. As pessoas para serem atendidas em hospital público tinham que ter carteira de trabalho assinada. O hospital dela era o único que não rejeitava ninguém. Isso foi fundamental para que o colapso da cidade de Salvador não tenha sido pior na segunda metade do século 20. Isso é a base da santidade que ela tinha em vida”, avalia o biógrafo.


Sérgio Lopes, assessor corporativo das Osid, avalia que erguer a infraestrutura de atendimento hospitalar - e que também oferta ensino fundamental para 750 crianças e adolescentes, e fornece 1,7 milhão de refeições gratuitas por ano – “foi o primeiro milagre de Santa Dulce dos Pobres.”


O assessor crê que a canonização “vai aumentar a visibilidade” do trabalho da Osid e ajudar o fechamento das contas. O atendimento à saúde é feito graças a convênios com o Sistema Único de Saúde (SUS). No ano passado, o dinheiro não foi suficiente. Conforme Lopes, restou um déficit de R$ 11 milhões que foi coberto posteriormente por repasses do Ministério da Saúde e doações, que equivalem a 5% do orçamento anual.


Invasão de casa


Assim como a história do galinheiro transformado em hospital, outras passagens alimentam a visão de que Irmã Dulce dedicou sua vida a acolher as pessoas mais humildes, como um menino ardendo em febre que a procurou pedindo para “não morrer na rua”. De acordo com o biógrafo Graciliano Rocha, o menino tinha 15 anos, trabalhava vendendo jornal na rua, era franzino e, provavelmente, sofria de malária. "Foi a primeira pessoa que a futura santa tirou das ruas", relembra Graciliano.


O local era próximo à Igreja do Bonfim, e ao avistar uma casa vazia e fechada, Irmã Dulce pediu a um passante que arrobasse o imóvel, assegurando que ela assumiria a responsabilidade. A freira providenciou colchão e um candieiro para o menino passar a noite, forneceu alimento, pediu que a irmã do pároco da Igreja do Bonfim cuidasse do garoto. Ela depois voltou com o médico.


“Irmã Dulce atendeu o menino. No dia seguinte, tinha diante de si uma cancerosa, que ela atendeu. Depois apareceram mais alguns necessitados, e ela foi atendendo”, complementa Dom Murilo Krieger, arcebispo de Salvador, em entrevista por escrito à Agência Brasil. O arcebispo ressalta que Irmã Dulce “era de baixa estatura, pesava somente 45 quilos, tinha uma saúde muito precária, dormia três ou quatro horas por noite etc. E, no entanto, foi à luta. Foi fazendo o que podia fazer, à medida em que os desafios se multiplicavam à sua frente”.


O religioso também assinala que “mais e mais as pessoas estão descobrindo a importância da vida de Irmã Dulce e do legado que nos deixou. E isso é muito importante porque o número de pobres, doentes e necessitados só aumentou e, por isso, há necessidade de muitas outras Irmãs Dulce.”


“O trabalho de Irmã Dulce era dedicado aos pobres mais pobres, aos desvalidos, aos sem casa, aos que estavam na sarjeta: o marginal, a prostituta, o bandido. Ela tinha o coração aberto a todo mundo”, comenta o advogado Antônio Gilvandro Martins Neves, que conheceu Irmã Dulce no final dos anos 1960 e teve sua ajuda para fundar uma casa de estudante em Salvador e depois manter um hospital beneficente em Paramirim, no interior da Bahia.


O biógrafo Graciliano Rocha acredita que a dedicação aos mais humildes pesou favoravelmente na decisão de canonizar Irmã Dulce. “Ela via no pobre a figura de Jesus Cristo a ser acolhido. Esse era o imperativo ético e religiosos que a movia”, comenta. Para a Thiaquelliny Teixeira Pereira, a canonização de Irmã Dulce não vai reverter o quadro social que se agrava segundo estatísticas oficiais que atestam aumento de pobreza e desigualdade, “mas é sempre bom ter em evidência alguém reverenciável que olha para os pobres”.
Conheça o trabalho filantrópico do projeto "Obras Sociais Irmã Dulce"
O Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) afastou, na última quinta-feira (10), o juiz Eduardo Gibson Martins por baixa produtividade, assiduidade e eficiência na prestação jurisdicional. Ele ficará distanciado de suas funções por dois anos.


De acordo com o Processo Administrativo Disciplinar (PAD) contra o magistrado, o juiz teria tido assiduidade e produtividade muito baixa enquanto atuava como auxiliar no Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Fortaleza, de maio de 2016 a fevereiro de 2017. A frequência de Eduardo Gibson Martins foi apontada no processo pela Corregedoria-Geral da Justiça.


A decisão do pleno do TJCE atende ao requerimento da defesa do magistrado, que solicitou uma pena mais branda do que a requerida pelo Ministério Público do Ceará (MPCE), justificando que a estrutura e apoio de servidores no Juizado não eram suficientes para um trabalho mais produtivo. Além disso, a defesa argumento que Martins respondia a outro PAD à época, o que impactou negativamente na sua produtividade e causou abalo emocional.


No processo, o MPCE emitiu parecer favorável a aposentadoria compulsória de Eduardo, justificando que as provas apresentadas indicavam infração disciplinar por parte do juiz, com violação de assiduidade, presteza, pontualidade e diligência. No entanto, o pleno TJCE deu parecer por um punição mais leve.


Com informações do Diário do Nordeste
Faz tempo que o diploma universitário não garante um salário mais alto no futuro. Desde a recessão, que tirou milhões de brasileiros de seus empregos e corroeu a renda das famílias, porém, só aumenta o número de trabalhadores que cursaram faculdade, mas tiveram de aceitar funções que pagavam, no máximo um salário mínimo.


Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE, colhidos pela consultoria IDados, apontam que 11% dos trabalhadores formais e informais que cursaram faculdade ganhavam até um salário mínimo (R$ 998) no segundo trimestre. É o maior patamar desde que a pesquisa começou, em 2012.


Entre abril e junho deste ano, eram 2,77 milhões de brasileiros nessa situação. É mais do que a população de Salvador e 1,07 milhão a mais de pessoas do que cinco anos antes, quando o País ainda não tinha entrado em recessão. Enquanto a crise foi se espalhando pelo mercado de trabalho, fechando vagas, aumentando a informalidade e reduzindo o rendimento das famílias, o número de graduados trabalhando por até um salário mínimo foi aumentando.


A assistente comunitária Valdelice Lima Nery, de 44 anos, faz parte desse porcentual de profissionais. Formada em administração de empresas, em 2010, ela hoje trabalha por cerca de um salário, em um posto de saúde na zona oeste do Rio de Janeiro. "Mesmo empregada, fiz dois anos de cursinhos preparatórios para concursos, mas a quantidade de seleções caiu e não consegui trocar de emprego. Queria tentar uma vaga com salário maior, mas tudo foi ficando difícil, pela piora da situação do País", conta.


Ela, que presta atendimento a mais de mil famílias na região, diz que a preocupação agora é manter o emprego. "Mesmo com um número de assistentes abaixo do necessário na cidade, o contrato só vai até o fim do ano, e a Prefeitura ameaça não renovar o serviço." Apesar de pouco, por dois anos, esse salário foi a única renda da família.


Precarização


"A verdade é que o trabalhador está em uma situação complicada", avalia o economista Bruno Ottoni, da IDados. "O mercado não está gerando tantos postos e os que surgem são de baixa remuneração. Ele vê o que está disponível e, muitas vezes, acaba aceitando uma ocupação que paga bem menos do que gostaria."


Para o economista, a situação atual do mercado de trabalho, com desocupação ainda elevada (de 12,6% em agosto) e poucas oportunidades com melhor remuneração, é o pior dos mundos para muitos ex-universitários. "Alguns deles tiveram finalmente a chance de entrar na faculdade nos anos anteriores à recessão, mas se depararam com um mercado que não consegue absorvê-los."


Um efeito colateral preocupante da falta de boas oportunidades de emprego para quem tem mais anos de formação seria desestimular as pessoas a seguirem estudando, diz Clemente Ganz Lúcio, diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).


"Isso é ruim, principalmente para as famílias mais pobres, que investiram com sacrifício em formação superior, com a expectativa de ascender socialmente. Se o trabalhador sente que não precisava ter estudado tanto, pode cair em uma frustração difícil de superar", diz.


Informalidade


A busca dos trabalhadores mais qualificados por vagas com remuneração melhor deve ser longa, na avaliação de economistas ouvidos pelo Estado. O mercado de trabalho tem se recuperado em um ritmo mais lento do que se antecipava no início do ano e tem se ancorado, sobretudo, no avanço do trabalho informal - que é recorde.


O avanço da informalidade ajuda a explicar o aumento do número de graduados em universidades que ganham um salário mínimo ou menos. A última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua mostra que em um ano, até agosto, foram criados 1,4 milhão de postos sem carteira assinada ou CNPJ (que inclui profissionais liberais e microempreendedores, por exemplo) e apenas 403 mil vagas de carteira assinada.

Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Um outro levantamento da consultoria IDados, feito a partir dos números da Pnad Contínua, aponta que um terço dos trabalhadores informais ganhava menos de R$ 5 por hora. Desde o início da recessão, há quatro anos, esse porcentual não fica abaixo dos 30%.


"Se a maioria dos novos postos de trabalho é precária, isso gera uma dinâmica negativa no mercado de trabalho", avalia Ganz Lúcio do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). "Isso precisa ser objeto de preocupação do poder público. O Brasil não pode se acostumar a ser um País de informais ou uma economia com trabalhadores de baixa remuneração." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O São Paulo teve a bola na maior parte do tempo, dominou o Corinthians na noite de hoje (13), no Estádio do Morumbi, e venceu o clássico da 25ª rodada do Campeonato Brasileiro por 1 a 0. Reinaldo, de pênalti, foi o responsável por furar a retranca corintiana já na etapa final. Nos acréscimos, a torcida são-paulina gritou "olé" enquanto a equipe trocava passes. Com a vitória, o São Paulo chega a 43 pontos na tabela, empata com o rival, mas fica na quinta colocação por ter menor saldo de gols (11 a 10). O time de Fábio Carille, então, segue entre os quatro primeiros da competição. Ambas as equipes voltam a campo, pelo Brasileirão, na próxima quarta-feira (16).

O São Paulo enfrenta o Cruzeiro, no Mineirão, às 21h (de Brasília). Já o Corinthians visita o Goiás no Serra Dourada, às 21h30.

Vitor Bueno desequilibra no segundo tempo

O São Paulo teve atuação defensiva sólida, com todos os integrantes da primeira linha em noites felizes: Igor Vinícius, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo, que converteu a cobrança de pênalti e fez o gol da vitória tricolor. Ofensivamente, o principal destaque foi Vitor Bueno, novidade de Fernando Diniz na partida de hoje. Além de ter sofrido o pênalti no segundo tempo, o meia-atacante deu chapéu, iniciou transições ofensivas com qualidade, lutou e contribuiu com sua visão de jogo. Com ritmo de jogo pode ser peça importante nessa reconstrução de ideia de jogo do São Paulo no Brasileirão.


São Paulo tem a bola e controla clássico Com domínio da bola, o São Paulo teve dificuldade para furar o bloqueio corintiano, muitas vezes formado com duas linhas próximas à área de Cássio. Vitor Bueno e Tchê Tchê, pelas pontas, não tiveram a profundidade esperada e a principal arma do São Paulo, principalmente no primeiro tempo, foi chutes de longe, como o de Reinaldo. Disposto a quebrar a retranca, a equipe se lançou ao ataque na etapa final e, em contra-ataque, conseguiu o pênalti.

Corinthians sem criatividade e apetite

Com Matheus Jesus no lugar de Ramiro como principal mudança, o Corinthians variou o posicionamento de seus homens de frente - Vagner Love foi de ponta-direita a meia-esquerda, por exemplo. Mas o que chamou atenção foi a falta de apetite no ataque, com muita troca de passe na defesa, tentativa de controle do jogo no meio atrapalhada por erros na saída e avanço com lentidão. A apatia deu o tom do desempenho ofensivo. Atrás, linhas compactas e pouco espaço para o São Paulo, como é regra. Até Manoel cometer o pênalti no segundo tempo e o Corinthians ver cair por terra sua estratégia de não ter jogo no Morumbi. Teve, e o São Paulo desejou mais a vitória....

Fonte: Uol Esportes

Um vídeo gravado no interior da uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Regional de Iguatu mostrou objetos movendo-se aparentemente sozinhos. O vídeo foi encaminhado ao O POVO Online neste sábado, 12.

Nas imagens, o funcionário permanece filmando enquanto acompanha o fenômeno e demonstra espanto. Em três vídeos, os objetos aparecem mudando de lugar. Em uma das imagens uma lixeira aparece se movendo em direção a uma das camas da UTI.

O POVO Online entrou em contato com o Hospital Regional de Iguatu na tarde deste sábado, 12, em busca de mais informações. O setor responsável não atendeu as ligações.


Fonte: Jornal O Povo

O terror se abateu novamente sobre os Estados Unidos. Após tiroteio ocorrido no último sábado (03/08/2019) em um shopping, na cidade de El Passo, no Texas, que deixou 20 mortos e 26 feridos, outro ataque em massa foi registrado no centro de Dayton, no estado americano de Ohio. A polícia local confirmou ao menos 10 mortos — incluindo o atirador — e 16 feridos.

É o segundo episódio no país em menos de 24 horas. Segundo a imprensa local, o ataque em Dayton ocorreu pouco depois da 1h (2h em Brasília) deste domingo (04/08/2019), perto de um bar na East Fifht Street, na região central da cidade. Um homem abriu fogo fazendo vítimas. A polícia confirmou no Twitter que estava nas proximidades e conseguiu agir rapidamente para conter e matar o suspeito.

Reprodução/CNN


No começo da manhã deste domingo, as autoridades ainda não sabiam a identidade do autor, nem mesmo a motivação da chacina. O FBI atua no caso. Segundo o The New York Times, 16 pessoas foram levadas para o hospital Miami Valley, mas não foi dada nenhuma informação sobre o estado de saúde e a situação das vítimas.

De acordo com a Rede CNN, a polícia acredita que o suspeito tenha agido sozinho e diz não haver ameaça para os residentes da cidade americana. Moradores locais registraram o momento do ataque.

Com uma população de cerca de 140 mil habitantes, Dayton fica no oeste de Ohio. O crime ocorreu em Oregon, distrito descrito como uma parte segura do centro, onde estão instaladas opções de entretenimento, incluindo bares, restaurantes e teatros.

O presidente Donald Trump comentou, na manhã deste domingo, o novo episódio, que elevou para 29 o número de mortes em ataques em massa nos Estados Unidos somente neste fim de semana. Segundo o mandatário dos EUA, o FBI e as polícias local e estadual estão trabalhando juntos em El Paso e em Dayton. “A aplicação da lei foi muito rápida em ambos os casos”, ressaltou.

Na tarde de sábado (03/08/2019), um tiroteio em uma loja do Walmart, ao lado de um shopping tradicional de El Paso, no Texas, também deixou mortos e feridos. O responsável pelo ataque é um rapaz de 21 anos, que foi preso.

REPRODUÇÃO/CNN

A possibilidade de o ataque ter sido motivado por ódio é analisada pelas autoridades da área de segurança. “Temos um manifesto deste indivíduo que indica, em certa medida, um possível vínculo com um crime de ódio”, disse Greg Allen, chefe da polícia.

O Papa Francisco condenou na manhã deste domingo (04/08/2019), em pronunciamento na praça São Pedro, no Vaticano, os ataques a “pessoas indefesas” nos Estados Unidos.
Uma mãe de Campo Grande (MS) fez um longo desabafo nas redes após o filho dela, que é autista, ser chamado de “problemático” por uma mulher. Sara Onori recebeu uma mensagem no WhatsApp de uma remetente identificada apenas como Viviane. “Oi, Sara! Eu vi que você está no grupo das meninas. Nós estávamos falando da festa do Ruan. Não quero que você fique mal, mas não vou convidar você por causa do seu filho que é meio problemático. As outras crianças vão ficar incomodadas. Espero que entenda. Desculpa”, dizia o texto.


Mãe de menino autista recebeu mensagem de outra mãe dizendo que não convidaria garoto para festa porque ele é "meio problemático" — Foto: Arquivo pessoal


Segundo Sara, ela não teve como dar alguma resposta na hora porque ficou “sem chão”. “Quando decidi te responder, vi que, infelizmente, me bloqueou em todas as redes sociais, mas eu sei que mesmo assim está cuidando minhas postagens o tempo todo”, escreveu Sara no Facebook. Logo depois, desabafou sobre a situação e também sobre o que Arthur, de 2 anos, já passou. Confira abaixo na íntegra.

Resultado de imagem para mae desabafa por filho nao ser chamado para aniversário
Mãe de Arthur, de 2 anos, diz que filho autista só precisa de paciência
 das pessoas ao redor para se encaixar — Foto: Sara Onori/Arquivo pessoal

“Viviane eu agradeço sua mensagem. Meu filho não gostaria de ir na festinha do Ruan, e eu também ficaria muito incomodada caso ele fosse convidado. Meu filho não é ‘problemático’. Ele é autista e é muito feliz e abençoado. Extremamente protegido pelo seu anjo da guarda, que acaba de mostrar um livramento. É que eu e minha família temos um alicerce principiológico, onde o respeito impera, ensinamos a respeitar o próximo. Queremos que ele, no futuro, possa conviver em uma sociedade mais justa, onde na arena da vida não só apenas os ‘perfeitamente normais’ sejam vencedores.
A deficiência do meu filho não o torna inferior ao seu filho ou demais crianças, mas isso é algo que não posso cobrar de você um entendimento. Nem todas as pessoas são normais, algumas não possuem sequer capacidade para entender. Eu sou mãe de um autista, mas bastante forte para enfrentar esse tipo de situação. Procuro tornar meu fardo mais leve, estar ao lado de pessoas boas e queridas, que praticam o bem e nos fazem o bem. Eu, minha família e meu filho afastamos de pessoas cruéis, medíocres, imbecis e inúteis.

Infelizmente, o ser humano, no decorrer de sua trajetória, vai absorvendo o que há de bom e ruim ao seu redor. E prometo que vou rezar pelo futuro do seu filho. Afinal, a criança é fruto do meio em que vive. A nossa sociedade está mudando, e ela não tolera mais esse tipo de preconceito e discriminação. Temos uma legislação forte sobre o tema e, hoje, há justiça para o meu filho lutar na arena da vida de forma igualitária e justa.

Comentários, brincadeirinhas e simples mensagens, como a que você me enviou, são pautas corriqueiras em convenções internacionais de direitos humanos. E, graças a Deus, nosso país tem avançado bastante na legislação e nas penas conforme o artigo 88 da Lei 13.146/2015. Se cada pai de autista denunciar esse tipo de situação, em breve, teremos uma sociedade melhor, com mais respeito, pois na arena todos podem combater e vencer! Beijos.”

Apesar de citar a legislação, Sara não deixou claro se vai denunciar Viviane. A postagem já tem mais de 2,7 mil curtidas na rede social. Todos os comentários elogiam a atitude da mulher e dão forças para continuar na luta.




Senadores teriam recebidos ameaças e ofensas após posicionamento contra o decreto que flexibiliza as regras para porte de armas no Brasil, votado na última quarta-feira, 12, conforme informou o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).


O presidente manifestou indignação por meio da sua conta no Twitter, na última sexta-feira, 14. "É, no mínimo, preocupante que o direito e o dever do exercício da atividade parlamentar, legitimado pelo voto do povo, sejam restringidos por meios covardes e, inclusive, de flagrante injustiça e afronta à segurança dos parlamentares", pontuou o presidente da casa, que garantiu tomar as providências necessárias para proteção e a liberdade de expressão dos legisladores.

Um dos citados é o cearense Eduardo Girão (PODE-CE). Além dele, teriam recebido ameaças os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Fabiano Contarato (Rede-ES) e Veneziano Vital do Rego (PSB-PB), de acordo com a Folha de São Paulo. Todos votaram contra o parecer do senador Marcos do Val (Cidadania-ES), que era favorável ao decreto de flexibilização do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

O relatório foi rejeitado por 15 votos a 9, e novo texto contrário ao decreto, elaborado por Vital do Rego, deve ser votado no plenário do Senado na semana que vem.


A assessoria do senador Eduardo Girão detalhou o ocorrido em nota. "A assessoria confirma que durante a semana houve casos de comentários agressivos e ofensivos nas redes sociais. Esperamos que o espírito democrático prevaleça, e que seja reconhecido que o debate e a pluralidade de ideias são saudáveis para a nação", diz o texto.

O Povo on Line 

Com o desempenho tímido da economia após a recessão e o mercado de trabalho ainda custando a se recuperar, aplicativos de serviços – como Uber, 99, iFood e Rappi– se tornaram, em conjunto, o maior ‘empregador’ do País. Quase 4 milhões de trabalhadores autônomos utilizam hoje as plataformas como fonte de renda. Se eles fossem reunidos em uma mesma folha de pagamento, ela seria 35 vezes mais longa do que a dos Correios, maior empresa estatal em número de funcionários, com 109 mil servidores.

Além desses aplicativos representarem as mudanças na oferta de serviços, eles têm acompanhado transformações significativas nas relações de trabalho. Para um autônomo, o ganho gerado com os apps acaba se tornando uma das principais fontes de renda. Esses 3,8 milhões de brasileiros que trabalham com as plataformas representam 17% dos 23,8 milhões de trabalhadores nessa condição, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no trimestre até fevereiro.
                          

Há um ano e meio, Yasmin Namen, de 27 anos, consegue se sustentar trabalhando como cuidadora de cachorros, usando aplicativos como DogHero e PetAnjo. Ela, que não chegou a concluir a faculdade de Direito, trabalhava como vendedora em um shopping center, até ficar desempregada. Hoje, chega a cuidar de oito cachorros de uma vez e ganha de R$ 2,1 mil a R$ 3 mil por mês – o suficiente para se manter.

“A parte ruim é que trabalhar por conta própria exige muita organização, ou as contas ficam atrasadas e a sua vida vira um caos. Mas é um trabalho que começou por necessidade de sustento, mas acabou se tornando uma oportunidade de fazer o que gosto. Sempre tem procura, não fico sem hóspedes”, diz.
Amplitude

Dados do Instituto Locomotiva apontam ainda que cerca de 17 milhões de pessoas usam algum aplicativo regularmente para obter renda – essa conta inclui trabalhadores autônomos, profissionais liberais e aqueles que têm outros empregos e usam o que ganham nas plataformas para complementar o salário.

O presidente do instituto, Renato Meirelles, lembra que transporte, venda de produtos e divulgação estão entre as principais atividades de quem usa plataformas para obter renda e que esse é um mercado de grande potencial. “Estima-se que 70% dos adultos das regiões metropolitanas já fizeram pelo menos uma compra por meio de apps”, afirma.

Apesar de ser uma alternativa para os brasileiros que ficaram desempregados, essa nova organização do trabalho também é alvo de contestações na Justiça, que questionam se existe vínculo entre plataformas e profissionais. / COLABOROU CAIO RINALDI


O Fortaleza está de volta a primeira divisão após 13 anos. Na estreia, o Leão terá o Palmeiras pela frente. O Verdão é o atual campeão da Série A e vive boa fase na Copa Libertadores. A partida acontece neste domingo (28), às 19h, no Allianz Parque.

A defesa consistente e um ataque veloz são as principais armas do Tricolor do Pici. O Fortaleza está invicto há 11 jogos e não sabe o que sofrer gols desde o dia 23 de março. Do banco de reservas vem um dos principais responsáveis pelo sucesso: Rogério Ceni.

Em pouco mais de um ano, o treinador já conquistou dois títulos no comando do Leão. Para o confronto com o Palmeiras, Ceni passou a contar com o atleta Kieza, que foi regularizado na última sexta-feira (26).

Leão enfrenta o Palmeiras em São Paulo (FOTO: Leonardo Moreira/FortalezaEC)

Já o time paulita busca responder as críticas da torcida diante do Fortaleza. A eliminação no Campeonato Paulista ainda incomoda o torcedor palmeirense. Mesmo com a boa campanha na Libertadores, o time alviverde sabe da importância de começar o campeonato com o pé direito.

O Palmeiras jogou na última quinta-feira (25), quando atropelou o Melgar do Peru, fora de casa, por 4 a 0.

Uma nova página se inicia em Porangabuçu. A partir deste domingo (28), o Ceará estreia na Série A do Campeonato Brasileiro diante do CSA, às 16h, na Arena Castelão.

O Vovô vem de um primeiro semestre ruim e aposta nas mudanças em busca dos bons resultados na temporada. Após Lisca deixar o comando alvinegro, Enderson Moreira chegou para assumir o time durante a Série A.

Luiz Otávio é um dos destaques do Ceará (FOTO: Israel Simonton / Cearasc.com)

Além do novo treinador, o Ceará conseguiu regularizar as suas últimas contratações. Mateus Gonçalves e Bergson estão à disposição do treinador Enderson Moreira.

Já o CSA vem em clima de festa. O clube alagoano foi campeão estadual no último domingo (21), diante do CRB. O Azulão tem jogadores bastante conhecidos no futebol cearense: Apodi, Cassiano e Madson.


Imagem relacionada

De acordo com a empresa o(a) profissional será responsável pelo estoque;
Atuar nas tarefas de distribuição de mercadoria, respeitando a sequência de referências e orientações do gerente de loja;
Realizar contagens, inventários e auditoria nos estoques.
São requisitos: Ensino médio completo;
Desejável experiência de 6 meses;
Ser atencioso(a) e proativo(a).
Currículos fora do perfil não serão analisados.
Tipo de vaga: Tempo Integral
Salário: de R$998,00 a R$1.111,11 /mês
Experiência:
  • estoque (Obrigatório)
Escolaridade:
  • Ensino Médio completo (Obrigatório)
Local:
  • Fortaleza, CE (Obrigatório)